Testemunho Jaime

Testemunho Jaime

Infância
Fui criado numa família numerosa, tradicional, católica. Eu era o penúltimo filho. O meu pai faleceu quando eu era muito novo e não me lembro dele. Do que lembro é o que dizem que ele fazia. O meu

Comunicado

O programa da TVI da autoria de Ana Leal transmitido no passado dia 10 de janeiro, com imagens ilicitamente obtidas, sugere que o grupo Livres para Amar oferece uma dita “terapia de conversão para homossexuais”.

O Livres para Amar não oferece, não referencia, nem requer qualquer forma de terapia aos seus membros.

O primeiro objetivo dos membros do grupo Livres para Amar é “viver uma vida casta de acordo com os ensinamentos da Igreja Católica. Romana” no que diz respeito à sexualidade em geral. A Igreja Católica ensina que todas as pessoas são chamadas à castidade, sejam casadas, solteiras, consagradas ou não.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica (CIC, 2337), “a castidade significa a integração correta da sexualidade na pessoa e, com isso, a unidade interior do homem no seu ser corporal e espiritual.” A obrigação de viver a castidade aplica-se às pessoas que nãoexperimentam atração pelo mesmo sexo e igualmenteàs pessoas que experimentam essa atração.

Como grupo de ação pastoral devidamente autorizado pela Igreja, o Livres para Amar acompanha pessoas(homens e mulheres, solteiros e casados) maiores de 18 anos, com atração pelo mesmo sexo que, de livre vontade, tomaram a decisão de viver a virtude da castidade, de acordo com o ensinamento da Igreja Católica.

O grupo Livres para Amar leva a sério a orientação do CIC, segundo o qual as pessoas que experimentam atração pelo mesmo sexo “devem ser acolhidas com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com elas todo sinal de discriminação injusta.” (CIC, 2358) Da mesma forma fazemos eco da declaração da Congregação da Doutrina da Fé: “é lamentável que as pessoas homossexuais tenham sido ou sejam objeto de violência ou malicia em palavras e atos. Tal tratamento deve ser condenado pelos pastores da Igreja, sempreque ocorra, revela uma falta de respeito pelos outros que coloca em perigo os mais fundamentais princípios de uma sociedade saudável. A dignidade intrínseca de cada pessoa deve ser sempre respeitada em palavras, nos atos e na lei”.

O Livres para Amar segue o método pedagógico dos 12 passos e tem como objetivo facilitar o encontro dos seus membros com Cristo, num ambiente onde os membros esperam encontrar a discrição necessária para caminhar com companha e em liberdade. Temos um site na Internet, acessível desde há vários meses, com informação vasta e diversificada sobre o que somos e queremos.

Finalmente, gostaríamos de convidar quem nos quiser conhecer a nos contatar para formar – livremente – a sua própria opinião.